segunda-feira, 21 de agosto de 2017

UM CEMITÉRIO GIGANTE DE BICICLETAS ABANDONADAS NA CHINA

Cerca de 23.000 bicicletas foram recolhidas e transportadas para um estacionamento temporário na cidade oriental chinesa de Hangzhou. As bicicletas foram apreendidas por causa do caos causado no estacionamento nas áreas urbanas. As empresas de aluguel de bicicletas donas da maioria de bicicletas do local não se interessam em buscar seus equipamentos por medo das multas impostas. 





As autoridades não têm escolha e recolhem as bicicletas abandonadas nos estacionamentos irregulares na cidade e as guarda, criando assim um vertiginoso aterro de bicicletas. Além das bicicletas das empresas de aluguel o lugar também conta com muitas de moradores da região e muitas delas se encontram quebradas tornado o lugar um verdadeiro cemitério de bikes. 

Apesar dos moradores usarem as bicicletas para reduzir o congestionamento e proporcionar comodidade muitos proprietários não vão buscar as que foram apreendidas pois elas já estão quebradas e com multas, prefinindo assim a compra de novas bicicletas e aumentando ainda mais o problema.





21 de agosto de 2017
in ação crítica

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

23 DE SETEMBRO; A VERDADE

https://www.youtube.com/watch?v=vQ22qLnVwNY22 set. 2015 ... A Verdade sobre o mês de setembro. Querem te distrair com o 23 de setembro. Fique esperto. Diga NÃO às resoluções da ONU. Diga NÃO às ...
18 de setembro de 2017posado por m.americo

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

ALAN WATTS: COMO FLUIR NATURALMENTE

O LIVRO DE JÓ (CID MOREIRA) - COMPLETO

https://www.youtube.com/watch?v=br1Vtcd67AM6 jul. 2015 ...  Completo Bíblia em áudio (Cid Moreira) - Duration: 3:29:19. Jesus Cristo 11,240 views. 3:29:19.  - AÚDIO LIVRO - BÍBLIA SAGRADA ...
16 de agosto de 2017postado por m.americo

4 LIÇÕES DA VIDA DE JÓ

A IMPRESSIONANTE HISTÓRIA DE JÓ

PR. DANIEL VIEIRA: LIÇÕES DA VIDA DE JÓ

O SOFRIMENTO E HISTÓRIA DE JÓ

PERCEPÇÕES SOBRE A VIDA DE JÓ - LIÇÃO 5

SÉRIE: UMA HISTÓRIA MAL CONTADA

TELEVISÃO: UMA DROGA CEREBRAL

CONSUMISMO: UMA HISTÓRIA MAL CONTADA

INSIGHTS SOBRE A MORTE

O DESAFIO É SE ADAPTAR AO MUNDO COMO ELE REALMENTE SE TRANSFORMOU

Vivemos de mania em mania, de moda em moda, tentando nos agarrar a pequenos milagres ou a grandes ilusões para seguir vivendo nosso agitado dia a dia. 
A última é a onda de “esvaziamento mental” , um desaceleramento dessa enxurrada de pensamentos, preocupações e sofrimentos antecipatórios, que nos mantêm em estado de alerta e estresse a cada instante. 
Surgem “gurus” e oferecem caminhos como se não fôssemos nós os autores e as vítimas de nossa realidade, como se a meditação não fosse milenar, assim como clausuras e monastérios.
O silêncio interior, assim dito, parece coisa de natureba ou riponga. Afinal, estamos submetidos a um bombardeio inclemente de informações e notícias sob a forma de sons e imagens de arrepiar. Tragédias, ameaças, dramas e violências são digeridos junto à macarronada, ao arroz com feijão, à cerveja ou ao refrigerante. Digerimos tudo.

NOVO NORMAL
 – Nós nos acostumamos com essa azia física e mental. É o “novo normal”: ser ansioso, nervoso, irritado, insatisfeito, preocupado. 

Esvaziar a mente, no fundo, seria a capacidade de desconectar sem sentir culpa. Seria não sentir abstinência das redes, do smartphone, não existir internauticamente, mas interagir e saber usar como meio o ambiente eletrônico, o mundo virtual e relaxar no fim de seu uso.
Seria ficar de plantão aos sons irritantes e simultaneamente viciantes dos avisos de mensagens das redes e não sofrer imaginando o que se está perdendo ao não responder às mensagens, temendo uma tragédia, uma urgência do trabalho, um problema sério com os filhos.
MORTO-VIVO – Simples, não? Imaginar que o mundo pode seguir rodando sem nossa presença, sem nossa interferência, sem nossa ação; ser acusado de não responder aos whats e aos e-mails ou de não se exibir nas diversas redes sociais; ser um morto-vivo, um rebelde sem causa, alienado tecnológico, mas um feliz relaxado, desapegado, observador da natureza que nos rodeia, aprendiz de sábio.
O desafio é se adaptar ao mundo como ele é, usufruir o que ele nos oferece e, ainda assim, conseguir, no meio de tudo que não para de acontecer, ter momentos sagrados de paz interior, tempo para não fazer nada ou um lazer que desacelere o turbilhão de preocupações, seja sozinho, a dois ou em grupo. Pois quem consegue, sem dúvida, haverá de compartilhar.

16 de agosto de 2017
Eduardo Aquino
O Tempo